Seival Explica

Todas as suas dúvidas
respondidas agora

A Seival é o destino de alocação dos recursos do investidor sofisticado que busca um verdadeiro diversificador de portfólio. Nosso cliente busca maior diversificação de sua carteira de investimentos, a fim de maximizar seus ganhos de longo prazo. A baixíssima correlação entre os mercados futuros e os mercados de ações e renda fixa torna o FGS uma opção extremamente convidativa. Além de clientes que visam a diversificação de portfólio, a estratégia sistemática seguidora de tendência que adotamos é voltada para investidores altamente disciplinados, pacientes e focados, capazes de manter o plano de alocação estabelecido para surfar nos tempos quando as tendências de preços se materializam e encarar os tempos, inevitáveis, quando não há tendências. Investidores Seival têm como principal característica não se preocuparem com a flutuação diária da cota do fundo. Estes investidores olham para seu portfólio como um todo e avaliam de tempos em tempos o impacto e peso do FGS em sua carteira de investimentos.

A Seival é uma gestora de recursos independente fundada em Porto Alegre em 2007. Nossa vocação é gerir recursos através de sistemas automáticos seguidores de tendência (trend following), nos mercados de futuros globais. A alma da nossa estratégia é: Operações vencedoras ficam, operações perdedoras saem.

Utilizamos a estratégia seguidora de tendência (trend following) que, por sua natureza, não tenta prever os movimentos do mercado, focando no preço e não nos fundamentos da economia. Acreditamos que o preço contém toda a informação relevante, refletindo qualquer fator que pode impactar a psicologia dos investidores ou os fundamentos do mercado. A partir do momento que a tendência de preços é identificada, o trend following entra em ação e tomamos a posição, mantendo-a ao longo de toda sua duração. Sabemos que as perdas fazem parte da vida do investidor e, para que uma perda em magnitude não afete a vida do portfólio, limitamos as perdas através do stop loss.

Utilizamos uma abordagem 100% sistemática que olha para a direção e volatilidade do preço de cada mercado futuro que negociamos. Nos adaptamos à direção e à volatilidade do mercado. Somos verdadeiramente agnósticos no que se refere a direção da economia. Se o preço sobe, compramos. Se o preço desce, vendemos. O tamanho de cada nova posição é ajustada pela volatilidade. Baixa volatilidade significa maior exposição. Maior volatilidade equivale a menor exposição.

É um conjunto de regras e fórmulas matemáticas aplicadas no preço de uma ação ou contrato futuro que indica de forma objetiva quando entrar em uma nova posição, quando sair com lucro e quando sair com perda controlada (stop loss). A principal característica do Trading System é o estabelecimento de um plano 100% sistemático, deixando o fator emocional fora do processo de tomada de decisão.

Futuros geridos é uma categoria de investimentos alternativos (nova classe de fundos no Brasil) que utilizam contratos futuros altamente líquidos, negociados em bolsas regulamentadas ao redor do mundo, com total transparência. O principal benefício é a baixa correlação com ativos
tradicionais
. Os dois principais tipos de estratégias de investimentos presentes no universo dos futuros geridos são a estratégia seguidora de tendência (trend following) e arbitragem estatística. A Seival utiliza a estratégia seguidora de tendências.

FGS é o acrônimo de Futuros Geridos Seival.
A estratégia do FGS é executada integralmente nos mercados de futuros globais. É importante destacar que o FGS é descorrelacionado com classes de ativos tradicionais e por, este motivo, é uma ótima opção para composição de portfólio de investimentos. O FGS é um verdadeiro diversificador de porfólios. O fundo FGS começou suas operações no final do ano de 2009. Anteriormente, a estratégia era operada na forma de carteira administrada.

O FGS performa positivamente quando, em razão da ação de tendências, há uma divergência persistente do preço em relação à média recente. Contrariamente, no caso de convergência dos preços de mercado com a média recente causada pela ausência de tendências em um mercado lateralizado, o FGS performa negativamente.

O primeiro é a diversificação que, através dos mercados de futuros globais, possibilita a negociação de setores como moedas, índices de ações, taxas de juros, mercado de energia e até mesmo commodities agrícolas. O segundo benefício é a eficiência; contratos futuros utilizam margem de garantia e, desta forma, podemos construir um portfólio diversificado sem a necessidade de usar todos os recursos que estão investidos no fundo. Portanto, os recursos que não estão sendo usados como margem também rendem juros. Os contratos futuros apresentam outro benefício que é a alavancagem implícita. A alavancagem implícita é geralmente controlada pelas relações margem/patrimônio líquido estabelecido pela política de risco de cada gestor. Já a alavancagem tradicional é aquela que se toma dinheiro emprestado para aumentar a exposição. A alavancagem implícita do contrato futuro torna a operação mais eficiente no que tange a custos, transparência e agilidade de negociação. A correlação baixíssima com o mercado de ações possibilita a formação de um portfólio mais diversificado e com margem mais ampla para performance. Por último, os contratos futuros possibilitam posições vendidas e, com isto, a chance de lucrar com a queda do preço de mercado.

Saiba mais em:
10 Motivos para a inclusão de Futuros Geridos em sua carteira

Observamos que em tempos de crises e momentos de alta volatilidade direcional os futuros geridos apresentam seus melhores resultados. A possibilidade de ficar vendido em momentos de crise e remover a emoção humana da tomada de decisão são fatores que diferenciam os futuros geridos de gestores de equities que operam comprados e que em momentos de crises podem, no máximo, reduzir sua exposição.

Risco é a possibilidade de perda. Esta possibilidade está no centro de qualquer experiência humana. Se somos proprietários de ações e há a possibilidade de queda do seu valor de mercado, estamos correndo risco.

Gerenciar é dirigir e controlar. Gestão de risco é dirigir e controlar a possibilidade de perda. As atividades de um gestor de recursos são medir, aumentar e diminuir os riscos através da compra e venda de ativos.

Limitamos o risco estabelecendo estatisticamente o preço de saída para o caso de uma operação apresentar prejuízo. Antes de iniciarmos uma operação, já conhecemos a saída, ou seja o limite da perda. Ordens de stop loss são o núcleo da gestão de risco Seival.

O Seival FGS atua nas seguintes classes de ativos globais: Moedas, Taxas de Juros, Índices de Ações e Commodities.

Ainda em dúvida?

Preencha o formulário abaixo e nos envie sua dúvida: