Filosofia de Investimento

Capturar tendências e ciclos econômicos

A Seival utiliza sistemas proprietários identificadores de tendências, 100% automatizados, para gerar sinais de compra e venda e estabelecer risco inicial a cada nova operação. Nosso método de identificação de tendências examina o mercado em busca de relações entre movimentos de preço, identificando frequências ou comportamentos repetitivos encobertos nas flutuações diárias de preços.

A estratégia da Seival está programada para agir com opcionalidade. Ao identificar possíveis tendências de preço, os sistemas geram sinais de compra ou de venda iniciando assim a operação. Dado que existe uma chance de a tendência não se concretizar, limitamos o risco através de ordens de stop loss. Por outro lado, para maximizar o lucro permanecemos na tendência até que ela termine. Temos assim, um upside assimétrico (ganhos maiores do que perdas).

O preço move-se em tendências de longo prazo, e tais tendências são ocorrências contínuas com padrões recorrentes, causadas por mudança súbita ou gradual no sentimento ou psicologia do mercado: um contínuo fluxo e refluxo de variações entre otimismo e pessimismo, esperança e medo, ganância e prodigalidade que gera ondas de compra (demanda) e venda (oferta); gerando o próprio fluxo de capital.

Historicamente, os longos períodos de movimentação lateral no mercado, ou seja, períodos onde a tendência não se materializa, vêm funcionando como presságios de alguns dos maiores movimentos observados e dos momentos mais rentáveis para a nossa estratégia seguidora de tendências.

Esse fenômeno poderia ser descrito como a calmaria antes da tempestade.

 

Ninguém pode prever o futuro

Mesmo os mais complexos modelos de análise, utilizando avanços científicos de fronteira, e as pessoas que ficam “agarradas” às suas previsões têm grandes possibilidades de equivocar-se. O orgulho as vence. O ser humano possui uma capacidade limitada de processar informações, e mesmo que tal capacidade fosse ilimitada ele ainda estaria sujeito a interferências discricionárias (subjetivas), influenciadas por seus instintos e processos cognitivos-comportamentais. Isso faz com que suas decisões não sejam sempre as mais adequadas a todos os cenários que se apresentam em sua vida.

“Eu aprendi muitas coisas com ele (George Soros), mas talvez o que importa, não é se você está certo ou errado, mas a quantidade de dinheiro que você faz quando você está certo e quanto você perde, quando está errado.” -- Stanley Druckenmiller

 

Preço decide: para cima, para baixo e para o lado

Acreditamos que toda a informação necessária para a tomada de decisão está contida na objetividade do preço de mercado, e não na subjetividade dos fundamentos. Ao invés de fazer previsões, identificamos a tendência através do preço, de forma objetiva e sistemática eliminando suposições. Medo, incerteza e ganância, sentimentos que guiam as decisões humanas, formam as expectativas e estas refletem-se nos preços.

Preços sinalizam oferta e demanda nos mercados. Se há demanda maior que oferta, os preços movem-se para cima (up trend). Se há oferta maior que demanda, os preços movem-se para baixo (down trend). Simplesmente reagimos a movimentos no preço. Se o preço sobe, compramos, se o preço desce, vendemos, se o preço lateraliza, aguardamos.

A estratégia da Seival é baseada na evidência empírica de que os preços movimentam-se em tendências. Evidências estatísticas sugerem que as tendências existem em muitos mercados.

Nossa visão é a de que o preço move-se em tendências no longo prazo e, quando a favor da tendência, reverte para a média no médio prazo. Ainda que sejam ocorrências comuns, identificar o início de uma tendência é uma tarefa altamente complexa.

 

“Quando” não interessa

Não precisamos saber “quando” algo irá acontecer sabendo que cedo ou tarde isto acontecerá. Percebemos que uma bolha está se formando, porém não sabemos quando ela irá estourar.

A Seival sabe que existe uma probabilidade estatisticamente significante de que uma grande tendência esteja chegando, porém nós não prevemos em qual mercado e quando esta tendência chegará.

Executamos todos os sinais que nossa estratégia trend following gera. Sabemos que a grande maioria das operações geradas pela estratégias (cerca de dois terços) têm perdas, ainda que limitadas. Por outro lado, um terço das operações agrupam os resultados positivos, cuja magnitude pode compensar as perdas, gerando lucro.

Para pensarmos em termos de probabilidades precisamos entender 2 níveis de crenças que são contraditórios:

  • Nível micro: Se focarmos em cada operação individualmente, haverá uma distribuição aleatória e imprevisível entre operações vencedoras e perdedoras;
  • Nível macro: Se o período for suficientemente longo, os resultados são estatisticamente previsíveis pois surgirão padrões que produzem resultados confiáveis;

A capacidade de acreditar na incerteza do nível micro e simultaneamente acreditar na previsibilidade no nível macro faz com que a Seival trabalhe com expectativa de resultados positivos no longo prazo.

Lembrando que agimos em termos de opcionalidade. Nossos sistemas foram desenvolvidos para cortar as perdas rapidamente e deixar os lucros correrem. Desta forma, a alta magnitude das poucas operações vencedoras podem compensar a alta frequência das operações perdedoras de baixa magnitude.

A capacidade de acreditar na incerteza do nível micro e simultaneamente acreditar na previsibilidade no nível macro faz com que a Seival trabalhe com expectativa de resultados positivos no longo prazo.

 

Perdas fazem parte da vida.

No seu clássico “The Battle for Investment Survival”, Gerald Loeb escreve,

“Aceitar perdas é o dispositivo de investimento mais importante para assegurar a proteção do capital. É também a ação sobre a qual as pessoas tem o menor conhecimento e a menor responsabilidade para executar.”

Se essa declaração deve soar natural para todos os investidores, têm um significado especial para nós da Seival. Somos mais afeitos à relação entre perdas e ganhos do que outros tipos de investidores. Entendemos que perdas são uma parte constituinte da vida. Tempo é perdido diariamente por nós em tráfego; perdemos saúde na medida que envelhecemos; de certa forma, perdemos dinheiro cada vez que consumimos bens que não utilizamos mais do que algumas vezes. Nós da Seival percebemos que uma grande perda em magnitude afeta nossos ganhos ao longo de toda a vida de nosso portfólio. Por isso, limitamos as perdas, através do stop loss.

Percebemos que tomar posições com menos frequência reduz o número de nossas perdas além de nossos custos de transação e que, portanto, é outra maneira efetiva de preservar nosso capital.